Pesquisar este blog

Carregando...

APOSTILA DE ATUALIDADES POLÍCIA FEDERAL http://migre.me/gWG8R

Três aniversários importantes em 2013 para estudar em Atualidades


2013 é um ano marcado por aniversários muito importantes. Dois deles se referem à principal fonte energética do Brasil e do mundo: o petróleo. O outro, ao plebiscito realizado durante o governo do presidente Jango. Nos três casos, estes aniversários funcionam como vinculações históricas de fatos bastante atuais.

Vamos aos fatos.

1953 - Fundação da Petrobras (60 anos)
Vargas é o presidente do país eleito pelo povo. Ao assumir o governo, encampa a campanha "O petróleo é nosso" iniciada pelo seu antecessor (Dutra), e funda neste ano a Petrobras. É importante lembrar que esta empresa foi fundada após a decretação do monopólio da União sobre a exploração do petróleo. Além disso, esta fonte de energia esponde, nos dias de hoje, por aproximadamente 38% da nossa matriz energética.

1963 - Plebiscito durante o governo Jango (50 anos)
Após a renúncia do presidente Jânio em 1961, militares, empresários, políticos conservadores e investidores estrangeiros se colocaram contra a posse de Jango, que era acusado de ser comunista. Esses grupos alegavam que se Jango assumisse a presidência, levaria o Brasil a uma ditadura comunista. Depois de um acordo, o Brasil adota o parlamentarismo e se coloca sob o governo de um primeiro-ministro. O plebiscito restaurou o presidencialismo e colocou Jango de volta no cargo de chefe de governo, que perderia no ano seguinte após um golpe militar. Recentemente, após denúncias de que teria morrido por envenenamento, e considerando a revisão histórica que o período do regime militar está passando, o seu corpo foi exumado para fins de investigação e de realização de um funeral oficial como forma de reparação histórica. Além disso, a decisão do Senado que declarou a presidência vaga em 1964 foi anulada.

1973 - Crise do petróleo (40 anos)
Em plena Guerra Fria, os países árabes, por intermédio da OPEP (Organização dos países exportadores de petróleo), dão um aumento exorbitante ao preço do barril de petróleo, além de reduzirem a oferta do óleo aos países ocidentais. O resultado foi uma grave crise econômica causada pela elevação em cadeia de vários preços. O Brasil, que estava sob o regime militar, optou pelo programa Proalcool como forma de diminuir a dependência da importação do combustível fóssil.

As duas datas referentes ao petróleo (1953 e 1973) são importantes no estudo de atualidades porque posteriormente o Brasil alcançou a autossuficiência em 2006 e anunciou a descoberta do pré-sal em 2007. Mais recentemente, a discussão sobre a redistribuição dos royalties chegou ao STF, que terá que decidir se os rendimentos do petróleo serão divididos igualmente entre as unidades federativas ou se continuarão a contemplar somente os estados produtores.

É isso. Bons estudos.

RENASCIMENTO CULTURAL: resumo e 100 questões com gabarito

RENASCIMENTO CULTURAL

RESUMO


ENEM


Conheça mais sobre História no Enem

1. Renascimento, conceituação:
. O que foi: Foi a efervescência artística e cultural vivida nos séculos XV e XVI na Europa Ocidental que marca o início da Era Moderna e o nascimento do universo burguês, especificamente em sua face cultural. No Renascimento, fica claro o rompimento com a Idade Média em grande parte de seus elementos. É, sobretudo, a exposição do universo e dos valores da nova classe emergente, a burguesia.
. Quando e onde: O Renascimento foi um movimento restrito à Europa Ocidental católica. Seu epicentro foi certamente a Itália e de modo mais específico, a cidade de Florença. Desde o meio da Baixa Idade Média já se via um florescimento das artes e da cultura, mas isso tomou uma forma ampla mesmo apenas no século XV. A partir deste momento ela sairá da Itália e ganhará todo o espaço da Europa Ocidental.

2. Elementos do Renascimento:
. Estudo dos clássicos greco-romanos: Um dos elementos que sublinham o afastamento com a Idade Média é a visitação dos textos e livros clássicos da Antiga Grécia e do Império Romano. Reliam-se os textos políticos, admirava-se a arte daqueles povos e os seus conhecimentos sobre a natureza e o mundo. Inclusive a religião pagã desses povos antigos traz interesse, mas o catolicismo não chega a perder força diante disto.
. Humanismo: Ao contrário do extremo peso que tinha a Igreja e Deus na cultura medieval, agora a atenção é voltada para o homem. Este, agora, constrói o seu mundo, o homem pode construir o seu conhecimento, conhecimento que pode modificar o mundo. O próprio conhecimento e as ações do homem na Terra não se justificam mais unicamente por Deus. Fala-se de um antropocentrismo – o homem no centro de tudo – moderno ante um teocentrismo medieval.
. O indivíduo e a razão: A noção individual do mundo passa a ser valorizada contra uma visão mais comunal ou religiosa, característica da Idade Média. E esse indivíduo usa a razão para compreender o mundo. A razão, durante a Idade Média, era menos importante do que a fé, era submissa a esta.
. Avanço do conhecimento e da técnica: Surge nesse período a origem do que depois será chamado de ciência. A razão agora será valorizada, mas ainda não será mais importante do que a fé. O conhecimento racional das coisas começa a ganhar corpo para depois triunfar no Iluminismo no XVIII. Durante o Renascimento e os séculos seguintes, constata-se um grande avanço de todos os campos do conhecimento e da técnica.
. As artes: De forma bem ampla, as artes vão ser renovadas. Novas técnicas, novas formas de se fazer arte e também novos elementos artísticos serão introduzidos enriquecendo e diversificando bastante o campo das artes na Europa. As artes vão ser financiadas pelos mecenas, homens ricos – burgueses ou nobres – que patrocinavam os artistas para que estes fizessem as suas obras de arte. Com esse financiamento, surgem alguns artistas profissionais, o que antes não existia. Essa arte, porém, não é voltada para as massas, mas para uma pequena elite apenas.
. A imprensa, as línguas e as grandes obras literárias: Um grande avanço técnico do período é a invenção da imprensa. Com ela, as obras literárias serão difundidas mais rapidamente, haverá um pequeno impulso para a redução do analfabetismo, mas a maioria da população européia ainda continuará analfabeta. Nesse momento surgirão as línguas nacionais, principalmente a partir de grandes obras literárias nacionais. Cada país que se unifica e ganha a sua língua própria, tendo também a sua própria obra-mãe. Assim, Os Lusíadas de Luís de Camões é tido como a certidão de nascimento da língua portuguesa, junto com outros escritos portugueses do mesmo período. Dom Quixote de Miguel de Cervantes é a principal obra espanhola do período e é um marco para a fundação do idioma castelhano. A Utopia de Thomas Morus e as obras de Shakespeare são marcos fundamentais da língua inglesa e assim por diante.
. O elitismo do Renascimento: Vale lembrar que nessa época poucos eram os que sabiam ler e também eram poucos os que tinham acesso à arte. Essa arte que surge no Renascimento era fortemente elitista, poucos tinham acesso a esta arte e poucos também podiam entendê-la.



QUESTÕES

1. O Renascimento foi o período de renovação de idéias. Teve início na Itália e depois se espalhou pelo Europa. O Renascimento foi também uma época de grandes artistas e escritores, como Leonardo da Vinci, Michelângelo e Shakespeare. A vida cultural deixou de ser controlada pela Igreja Católica e foi influenciada por estudiosos da Antiguidade grego-romana chamados de humanistas.
SCHMIDT, Mário. Nova História Crítica. 6ª série. São Paulo: Nova Geração, 1999, p. 112
O Renascimento teve como características, EXCETO
a) inspiração na Antiguidade Clássica
b) valorização do homem
c) desejo de romper com a cultura Medieval
d) valorização da cultura teocêntrica

2. Ousados foram os artistas do Renascimento, que inventaram novas formas, cores e idéias e que nos legaram obras maravilhosas. “Mona Lisa”, “Pietá” e “Primavera” são, respectivamente, obras de:
a) Leonardo da Vinci – Michelângelo – Botticelli
b) Michelângelo – Rafael – Leonardo da Vinci
c) Botticelli – Michelângelo – Rafael
d) Leonardo da Vinci – Donatelo – Michelângelo

3. Leia este trecho, em que se faz referência à construção do mundo moderno:
“... os modernos são os primeiros a demonstrar que o conhecimento verdadeiro só pode nascer do trabalho interior realizado pela razão, graças a seu próprio esforço, sem aceitar dogmas religiosos, preconceitos sociais, censuras políticas e os dados imediatos fornecidos pelos sentidos”.
CHAUÍ, Marilena. "Primeira filosofia". 4. ed. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 80.
A leitura do trecho nos permite identificar características do Renascimento. Assinale a afirmativa que contém essas características.
a) Deismo e ceticismo.
b) Teocentrismo e Racionalismo.
c) Racionalismo e Antropocentrismo.
d) Classicismo e Ceticismo.

4. “O homem vale tanto quanto o valor que dá a si próprio.” (François Rabelais)
"O bom pintor é aquele capaz de representar duas coisas principais, chamadas ‘homem’ e ‘os trabalhos da mente do homem'." (Leonardo Da Vinci)
As frases acima expressam um dos princípios fundamentais do renascimento cultural que é o:
a) Hedonismo, valorizando o prazer do homem.
b) Teocentrismo em contraposição a visão estática do mundo medieval.
c) Antropocentrismo, valorizando o homem em contraposição as idéias católicas medievais.
d) Humanismo, valorizando a o pensamento racional.
e) pensamento empírico como forma de valorização do homem.

5. O Renascimento Cultural é visto, pelo senso comum, como um movimento artístico. Sabemos, no entanto, que esse movimento é muito mais abrangente. Sobre o Renascimento, é correto afirmar:
a) O Renascimento foi um movimento de mudança de mentalidade da sociedade européia e repercutiu nas mais diversas áreas.
b) A força das idéias humanistas combateram o cristianismo e impôs o pensamento ateu.
c) As ciências em geral não tiveram grande desenvolvimento, porque no período renascentista não havia uma preocupação com a questão empírica.
d) O Renascimento resgatou o pensamento humanista que se manteve forte durante a Idade Média no combate às heresias.
e) A busca por valores perdidos na Antiguidade recebeu amplo apoio da Igreja Católica, que compartilhava do ideal antropocentrista dos gregos.

6. "Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandre e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o feito ilustre Lusitano,
A quem Netuno e Marte obedeceram;
Cesse tudo que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta".
(Luís Vaz de Camões, Os Lusíadas.)

Assinale a alternativa que demonstra a característica do Renascimento descrita na poesia.
a) O humanismo, com a valorização de grandes navegadores como Netuno.
b) O racionalismo, expresso pela habilidade e o uso da técnica dos grandes navegadores.
c) O hedonismo, devido ao espírito aventureiro dos navegadores.
d) O resgate da cultura greco-romana, servindo de base para a exaltação dos navegadores lusitanos.
e) A visão de um mundo dominado por forças divinas e, portanto, uma valorização do teocentrismo.

7. Com relação às artes e às letras de seu tempo, os humanistas dos séculos XV e XVI afirmavam:
a) que a literatura e as artes plásticas passavam por um período de florescimento, dando continuidade ao período medieval.
b) que a literatura e as artes plásticas, em profunda decadência no período anterior, renasciam com o esplendor da Antiguidade.
c) que as letras continuavam as tradições medievais, enquanto a arquitetura, a pintura e a escultura rompiam com os velhos estilos.
d) que as artes plásticas continuavam as tradições medievais, enquanto a literatura criava novos estilos.
e) que o alto nível das artes e das letras do período nada tinha a ver com a Antiguidade nem com o período medieval.

8. Durante o Renascimento, houve um notável desenvolvimento da produção literária, além das artes plásticas. Indique a alternativa em que obra e autor estão corretos:
a) O Príncipe - Shakespeare
b) Dom Quixote - Miguel de Cervantes
c) Os Lusíadas - Erasmo de Rotterdan
d) Hamlet - Dante Alighieri
e) Utopia - François Rabelais

9. "Se volveres a lembrança ao Gênese, entenderás que o homem retira da natureza seu sustento e a sua felicidade. O usuário, ao contrário, nega a ambas, desprezando a natureza e o modo de vida que ela ensina, pois outros são no mundo seus ideais." (Dante Alighieri, A DIVINA COMÉDIA, Inferno, canto XI, tradução de Hernâni Donato). Esta passagem do poeta florentino exprime:
a) uma visão já moderna da natureza, que aqui aparece sobreposta aos interesses do homem.
b) um ponto de vista já ultrapassado no seu tempo, posto que a usura era uma prática comum e não mais proibida.
c) uma nostalgia pela Antigüidade greco-romana, onde a prática da usura era severamente coibida.
d) uma concepção dominante na Baixa Idade Média, de condenação à prática da usura por ser contrária ao espírito cristão.
e) uma perspectiva original, uma vez que combina a prática da usura com a felicidade humana.

10. (FUVEST) Com relação à arte medieval, o Renascimento destaca-se pelas seguintes características:
a) a perspectiva geométrica e a pintura a óleo.
b) as vidas de santos e o afresco.
c) a representação do nu e as iluminuras.
d) as alegorias mitológicas e o mosaico.
e) o retrato e o estilo romântico na arquitetura.

11. (UFTM) Leia a definição de renascença.
1. Ato ou efeito de renascer; renascimento 2. Qualquer movimento caracterizado pela ideia de renovação, de restauração; retorno 3. Nova vida, nova existência.
(Dicionário Houaiss da língua portuguesa)
O termo “renascença” é utilizado para caracterizar a arte, no mundo ocidental, entre os séculos XIV e XVI. A escolha do termo pode ser explicada
a) pelo fato de a produção artística ocidental nascer, de fato, neste período.
b) pela revalorização de ideais estéticos vigentes na Antiguidade Clássica.
c) pela renovação da pintura, fruto da difusão dos ideais protestantes.
d) pelo contato com a arte africana, descoberta graças às viagens marítimas.
e) pelo fim da política do mecenato, que financiava a recuperação das obras de arte.
12. Em O RENASCIMENTO, Nicolau Sevcenko afirma: "O comércio sai da crise do século XIV fortalecido. O mesmo ocorre com a atividade manufatureira, sobretudo aquela ligada à produção bélica, à construção naval e à produção de roupas e tecidos, nas quais tanto a Itália quanto a Flandres se colocaram à frente das demais. As minas de metais nobres e comuns da Europa Central também são enormemente ativadas. Por tudo isso muitos historiadores costumam tratar o século XV como um período de Revolução Comercial." A Revolução Comercial ocorreu graças:
a) às repercussões econômicas das viagens ultramarinas de descobrimento.
b) ao crescimento populacional europeu, que tornava imperativa a descoberta de novas terras onde a população excedente pudesse ser instalada.
c) a uma mistura de idealismo religioso e espírito de aventura, em tudo semelhante àquela que levou à formação das cruzadas.
d) aos Atos de Navegação lançados por Oliver Cromwell.
e) à auto-suficiência econômica lusitana e à produção de excedentes para exportação.

13. Entre os séculos XIV e XVI a Europa viveu uma época de muitas transformações no campo das técnicas, das artes, da política, da religião e do próprio conhecimento que o homem tinha do mundo em si mesmo. Sobre esse período histórico, é correto afirmar:
a) Os reinos da França e da Inglaterra enfraqueceram-se devido à crise do sistema feudal, que empobrecera os nobres exatamente no momento de enriquecimento da burguesia mercantil e financeira, o que permitiu que os reis concentrassem mais poder em suas mãos.
b) Surgiram nessa época "projetos" políticos que diziam respeito às formas de um governante proteger e aumentar seu poder.
c) Durante esse período, quando os reinos independentes se fortaleceram, a Igreja esforçou-se para assegurar o poder espiritual, abandonando sua preocupação anterior com a manutenção de seu poder temporal.
d) Esse período foi de paz entre os papas e os imperadores; por isso, não se investiu na criação de armas de guerra nem em fortificações.
e) Os comerciantes começaram a entrar em choque direto com a antiga ordem medieval, impondo sua forma de vida e seus valores, à medida que passaram a concentrar as riquezas, das quais dependiam também a Igreja e governantes.

14. As principais características do Renascimento foram:
a) teocentrismo, realismo e intensa espiritualidade;
b) romantismo, espírito crítico em relação à política, temas de inspiração exclusivamente naturalistas;
c) ausência de perspectiva e adoção de temas do cotidiano religioso, tendo como foco apenas os valores espirituais;
d) uso de temas ecológicos evidenciando a preocupação com o meio ambiente, execução de variados retratos de personalidades da época.
e) antropocentrismo, humanismo e inspiração greco-romana.

15. Qual das alternativas abaixo apresenta características do Renascimento Cultural?
A - Teocentrismo; valorização da cultura egípcia; valorização da religião; estética fora da realidade.
B - Geocentrismo; valorização apenas de temas religiosos; influência do misticismo; estética monocromática.
C - Temas não relacionados com a realidade; pobreza de cores nas pinturas; Teocentrismo; valorização de temas abstratos.
D - Antropocentrismo; valorização da cultura greco-romana; valorização da Ciência e da razão; busca do conhecimento em várias áreas.

16. Vários artistas italianos se destacaram no Renascimento Cultural. Qual das alternativas abaixo apresenta nomes de artistas italianos renascentistas?
A - Leonardo da Vinci, Michelangelo, Rafael Sanzio, Botticelli e Tintoretto.
B - Pablo Picasso, Van Gogh, Galileu Galilei e Lucas Mantovanni.
C - Pitágoras, Renoir, Portinari, Monet e Laurentino Schiatti.
D - Lucas Mantovanni, Pablo Picasso, Monet, Girondinelli e Renoir.

17. Na Itália Renascentista quem eram os mecenas?
A - Governantes que atuavam como artistas, fazendo esculturas e pinturas.
B - Pintores que ajudavam financeiramente os burgueses da época.
C - Burgueses e governantes que protegiam e patrocinavam financeiramente os artístas renascentistas.
D - Religiosos que perseguiam os artísticas que faziam obras de arte que criticavam os fundamentos da Igreja Católica.

18. Sobre Leonardo da Vinci, é verdadeira afirmar que:
A - Foi o mais importante escultor e poeta do Renascimento Italiano.
B - Foi um importante pintor, escultor, cientista, engenheiro, escritor e físico do Renascimento.
C - Foi um importante governante italiano que patrocinou vários artistas e cientistas do período renascentista.
D - Foi um importante escultor e pintor italiano do Renascimento, cuja principal obra é Pietá.

19. Qual dos países abaixo é considerado o berço do Renascimento?
A - França
B - Itália
C - Espanha
D - Holanda

20. Leia este trecho, em que se faz referência à construção do mundo moderno:
“... os modernos são os primeiros a demonstrar que o conhecimento verdadeiro só pode nascer do trabalho interior realizado pela razão, graças a seu próprio esforço, sem aceitar dogmas religiosos, preconceitos sociais, censuras políticas e os dados imediatos fornecidos pelos sentidos”. (CHAUÍ, Marilena. "Primeira filosofia". 4. ed. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 80.)
A leitura do trecho nos permite identificar características do Renascimento. Assinale a afirmativa que contém essas características.
a) nova postura com relação ao conhecimento, a qual transforma o modo de entendimento do mundo e do próprio homem.
b) ruptura com as concepções antropocêntricas, a qual modifica as relações hierárquicas senhoriais.
c) ruptura com o mundo antigo, a qual caracteriza um distanciamento do homem face aos diversos movimentos religiosos.
d) adaptações do pensamento contemplativo, as quais reafirmam a primazia do conhecimento da natureza em relação ao homem.

21. (ENEM) (...) Depois de longas investigações, convenci-me por fim de que o Sol é uma estrela fixa rodeada de planetas que giram em volta dela e de que ela é o centro e a chama. Que, além dos planetas principais, há outros de segunda ordem que circulam primeiro como satélites em redor dos planetas principais e com estes em redor do Sol. (...) Não duvido de que os matemáticos sejam da minha opinião, se quiserem dar-se ao trabalho de tomar conhecimento, não superficialmente, mas duma maneira aprofundada, das demonstrações que darei nesta obra. Se alguns homens ligeiros e ignorantes quiserem cometer contra mim o abuso de invocar alguns passos da Escritura (sagrada), a que torçam o sentido, desprezarei os seus ataques: as verdades matemáticas não devem ser julgadas senão por matemáticos. (COPÉRNICO, N. De Revolutionibus orbium caelestium)
Aqueles que se entregam à prática sem ciência são como o navegador que embarca em um navio sem leme nem bússola. Sempre a prática deve fundamentar-se em boa teoria. Antes de fazer de um caso uma regra geral, experimente-o duas ou três vezes e verifique se as experiências produzem os mesmos efeitos. Nenhuma investigação humana pode se considerar verdadeira ciência se não passa por demonstrações matemáticas. (VINCI, Leonardo da. Carnets)
O aspecto a ser ressaltado em ambos os textos para exemplificar o racionalismo moderno é
a) a fé como guia das descobertas.
b) o senso crítico para se chegar a Deus.
c) a limitação da ciência pelos princípios bíblicos.
d) a importância da experiência e da observação.
e) o princípio da autoridade e da tradição.

22. (UNEB) Leia atentamente os relatos a seguir:
"O pintor que trabalha rotineira e apressadamente, sem compreender as coisas, é como o espelho que absorve tudo o que encontra diante de si, sem tomar conhecimento".
“Experiência, mãe de toda a certeza”
“Só o pintor universal tem valor”
São trechos de Leonardo da Vinci, personagem destacada do Renascimento. Neles, o autor exalta compreensão, experiência, universalismo, valores que marcaram o:
a) Teocentrismo, como princípio básico do pensamento moderno.
b) Epicurismo, em alusão aos princípios dominantes na Idade Média.
c) Humanismo, como postura ideológica que configurou a transição para a Idade Moderna.
d) Confucionismo, por sua marcada oposição ao conjunto dos conhecimentos orientais.
e) Escolasticismo, dado que admitia a fé como única fonte de conhecimento.

23. (UEL) O Renascimento, amplo movimento artístico, literário e científico, expandiu-se da Península Itálica por quase toda a Europa, provocando transformações na sociedade. Sobre o tema, é correto afirmar que:
a) o racionalismo renascentista reforçou o princípio da autoridade da ciência teológica e da tradição medieval.
b) houve o resgate, pelos intelectuais renascentistas, dos ideais medievais ligados aos dogmas do catolicismo, sobretudo da concepção teocêntrica de mundo.
c) nesse período, reafirmou-se a ideia de homem cidadão, que terminou por enfraquecer os sentimentos de identidade nacional e cultural, os quais contribuíram para o fim das monarquias absolutas.
d) o humanismo pregou a determinação das ações humanas pelo divino e negou que o homem tivesse a capacidade de agir sobre o mundo, transformando-o de acordo com sua vontade e interesse.
e) os estudiosos do período buscaram apoio no método experimental e na reflexão racional, valorizando a natureza e o ser humano.

24. (PUCMG) O Renascimento, enquanto fenômeno cultural observado na Europa Ocidental no início da Idade Moderna, encontra-se inserido no processo de transição do feudalismo para o capitalismo, expressando o pensamento e a visão de mundos próprios de uma sociedade mercantil e, portanto, mais aberta e dinâmica. Manifestando-se principalmente através das artes e da filosofia, o movimento renascentista tinha como eixo
a) a sabedoria popular e o domínio da maioria, como mecanismo de combate ao poder aristocrático e de oposição aos novos segmentos sociais em ascensão.
b) a oposição a todas as religiões organizadas, pois os princípios religiosos impediam a liberdade de opinião e tornavam o homem alienado. A igualdade jurídica de todos os indivíduos, suprimindo-se os privilégios de classe e equiparando os direitos e obrigações dos cidadãos.
c) a liberdade de trabalho inerente a qualquer pessoa, como instrumento capaz de possibilitar a criação e o crescimento do ser humano, sendo necessário abolir as corporações de ofício.
d) a valorização do homem por sua razão e por suas criações, difundindo a confiança nas potencialidades humanas e superando o misticismo dominante no período medieval.
e) o Racionalismo e o Geocentrismo (convicção de que tudo pode ser explicado pela razão e pela ciência; concepção de que a Terra é o centro do universo).

25. (PUCRJ) À exceção de uma, as alternativas abaixo apresentam de modo correto características do Renascimento. Assinale-a.
A) O retorno aos valores do mundo clássico, na literatura, nas artes, nas ciências e na filosofia.
B) A valorização da experimentação como um dos caminhos para a investigação dos fenômenos da natureza.
C) A possibilidade de uma estreita relação entre os diferentes campos do conhecimento.
D) O fato de ter ocorrido com exclusividade nas cidades italianas.
E) O uso da linguagem matemática e da experimentação nos estudos dos fenômenos da natureza.

26. (UDESC) A história da cultura renascentista nos ilustra com clareza todo o processo de construção cultural do homem moderno e da sociedade contemporânea. Nele se manifestam, já muito dinâmicos e predominantes, os germes do individualismo, do racionalismo e da ambição ilimitada, típicos de comportamentos mais imperativos e representativos do nosso tempo. (SEVCENKO, Nicolau. O Renascimento. São Paulo: Atual, 1987.)
Sobre a cultura renascentista, a que se refere Nicolau Sevcenko, assinale V (Verdadeiro) para as afirmações verdadeiras e F (Falso) paras as afirmações falsas.
(           ) O Renascimento marcou a transição da mentalidade medieval para a mentalidade moderna, ao traduzir novas concepções que tinham como referência o humanismo, enquanto base intelectual que procurava definir e afirmar o novo papel do homem no universo.
(           ) Em meio à desorganização administrativa, econômica e social, principais características da cultura renascentista, praticamente apenas a Igreja Católica conseguiu manter-se como instituição, conquistando assim grandes poderes e ampliando sua influência sobre a sociedade.
(           ) Ao formular princípios como o humanismo, o racionalismo e o individualismo, o movimento renascentista estabeleceu as bases intelectuais do mundo moderno.
(           ) A cultura renascentista consagrou a vitória da razão abstrata, instância suprema de toda a cultura moderna, pautada no rigor das matemáticas que passaram a reger os sistemas de controle do tempo, do espaço, do trabalho e do domínio da natureza.
(           ) Em meio a esse processo, transformações socioeconômicas culminaram na substituição de pequenas oficinas de artesãos por fábricas, assim como as ferramentas simples foram trocadas pelas novas máquinas que então haviam surgido.
Assinale a alternativa que contém a seqüência correta, de cima para baixo.
A) V F V V F
B) V V F V V
C) F F V V F
D) F V F V V
E) V V F F V

27. (UFF) O mundo moderno está associado, na sua origem, à cultura renascentista. Invenções e descobertas só puderam ser realizadas porque os intelectuais renascentistas reuniram tradições clássicas ocidentais e orientais, a fim de dar novo sentido à ideia de HOMEM e NATUREZA. Assinale a afirmativa que pode ser corretamente associada ao Renascimento.
A) O livro da natureza foi escrito em caracteres matemáticos. (Galileu)
B) O homem é imagem e semelhança de Deus. (Jean Bodin)
C) O mundo é perfeito porque é uma obra divina e, assim, só pode ser esférico. (Marsílio Ficino)
D) A perspectiva é o fundamento da relação entre espaço humano e natureza divina. (Alberti)
E) A proporção é a qualidade matemática inadequada à representação do mundo natural. (Leonardo da Vinci)

28. (UNICAMP) De uma forma inteiramente inédita, os humanistas, entre os séculos XV e XVI, criaram uma nova forma de entender a realidade. Magia e ciência, poesia e filosofia misturavam-se e auxiliavam-se, numa sociedade atravessada por inquietações religiosas e por exigências práticas de todo gênero.
(Adaptado de Eugenio Garin, Ciência e vida civil no Renascimento italiano. São Paulo: Ed. Unesp, 1994, p. 11.)
Sobre o tema, é correto afirmar que:
a) O pensamento humanista implicava a total recusa da existência de Deus nas artes e na ciência, o que libertava o homem para conhecer a natureza e a sociedade.
b) A mistura de conhecimentos das mais diferentes origens - como a magia e a ciência - levou a uma instabilidade imprevisível, que lançou a Europa numa onda de obscurantismo que apenas o Iluminismo pôde reverter.
c) As transformações artísticas e políticas do Renascimento incluíram a inspiração nos ideais da Antiguidade Clássica na pintura, na arquitetura e na escultura.
d) As inquietações religiosas vividas principalmente ao longo do século XVI culminaram nas Reformas Calvinista, Luterana, Anglicana e finalmente no movimento da Contrarreforma, que defendeu a fé protestante contra seus inimigos.

29. (PUCCAMP)
As ordens já são mandadas, já se apressam os meirinhos.
Entram por salas e alcovas, relatam roupas e livros:
(...)
Compêndios e dicionários, e tratados eruditos sobre povos, sobre reinos, sobre invenções e Concílios...
E as sugestões perigosas da França e Estados Unidos,
Mably, Voltaire e outros tantos, que são todos libertinos...
(Cecília Meireles, Romance XLVII ou Dos sequestros. "Romanceiro da Inconfidência")
A referência compêndios, dicionários e tratados eruditos no século XVIII nos sugere uma clara valorização do conhecimento científico, postura que também se verifica no período conhecido como Renascimento. Contribuíram para eclosão deste amplo movimento cultural na Europa,
a) a unificação da Itália e o enfraquecimento da Igreja católica.
b) as descobertas científicas e a revolução industrial na Inglaterra.
c) o fortalecimento das burguesias e o desenvolvimento dos centros urbanos.
d) a Contrarreforma e a fragmentação do poder político dos soberanos.
e) a expansão marítima e a hegemonia árabe na península ibérica.

30. (UFF) A "Carta de Pero Vaz de Caminha", escrita em 1500, é considerada como um dos documentos fundadores da Terra Brasilis e reflete, em seu texto, valores gerais da cultura renascentista, dentre os quais destaca-se:
a) a visão do índio como pertencente ao universo não religioso, tendo em conta sua antropofagia;
b) a informação sobre os preconceitos desenvolvidos pelo renascimento no que tange à impossibilidade de se formar nos trópicos uma civilização católica e moderna;
c) a identificação do Novo Mundo como uma área de insucesso devido à elevada temperatura que nada deixaria produzir;
d) a observação da natureza e do homem do Novo Mundo como resultado da experiência da nova visão de homem, característica do século XV;
e) a consideração da natureza e do homem como inferiores ao que foi projetado por Deus na Gênese.

31. (CESGRANRIO) A Revolução Científica, ocorrida na Europa Moderna entre os séculos XVI e XVII, caracterizou-se por:
a) acentuar o espírito crítico do homem através do desenvolvimento da ciência experimental.
b) reforçar as concepções antinaturalistas surgidas nos primórdios do Renascimento.
c) comprovar a tese de um universo geocêntrico contrária à explicação tradicional aceita pela Igreja Medieval.
d) negar os valores humanistas, fortalecendo assim as ideias racionalistas.
e) confirmar os fundamentos lógicos e empiristas da filosofia escolástica em sua crítica aos dogmas católicos medievais

32. (FGV) Erasmo de Rotterdam (1467-1536) foi um dos pensadores mais influentes de sua época, sobretudo porque em sua obra ELOGIO DA LOUCURA defendeu, entre outros aspectos,
a) a tolerância, a liberdade de pensamento e uma teologia baseada exclusivamente nos Evangelhos.
b) a restauração da teologia nos termos da ortodoxia escolástica, na linha de Tomás de Aquino.
c) a reforma eclesiástica da Igreja segundo a proposta de Savonarola, conforme sua pregação em Florença.
d) o comunismo dos bens, teoria que influenciaria o pensamento de Rousseau no século XVIII.
e) a supremacia da razão do Estado sobre as regras definidas nos princípios da moral cristã.

33. (FUVEST) "Se volveres a lembrança ao Gênese, entenderás que o homem retira da natureza seu sustento e a sua felicidade. O usuário, ao contrário, nega a ambas, desprezando a natureza e o modo de vida que ela ensina, pois outros são no mundo seus ideais."
(Dante Alighieri, A DIVINA COMÉDIA, Inferno, canto XI, tradução de Hernâni Donato).
Esta passagem do poeta florentino exprime:
a) uma visão já moderna da natureza, que aqui aparece sobreposta aos interesses do homem.
b) um ponto de vista já ultrapassado no seu tempo, posto que a usura era uma prática comum e não mais proibida.
c) uma nostalgia pela Antiguidade greco-romana, onde a prática da usura era severamente coibida.
d) uma concepção dominante na Baixa Idade Média, de condenação à prática da usura por ser contrária ao espírito cristão.
e) uma perspectiva original, uma vez que combina a prática da usura com a felicidade humana.

34. (MACKENZIE) Galileu Galilei (1564 - 1642) rompeu com as concepções medievais sobre a natureza do conhecimento, EXCETO por:
a) defender a ideia da experiência científica, combinando a indução experimental com cálculos dedutivos.
b) pregar que qualquer conhecimento científico deveria ser comprovado experimentalmente, reproduzindo-se o fenômeno sob determinadas condições.
c) refutar as teorias acerca do sistema geocêntrico de Ptolomeu, com base no sistema heliocêntrico de Copérnico.
d) desenvolver uma concepção hierárquica estática e natural sobre o universo, através de premissas dedutivas que demonstram as conclusões.
e) pregar a rigorosa observação dos fenômenos físicos, estabelecer uma metodologia do conhecimento científico e formular a lei da queda dos corpos.

35. (MACKENZIE) O Humanismo foi um movimento que não pode ser definido por:
a) ser um movimento diretamente ligado ao Renascimento, por suas características antropocentristas e individuais.
b) ter uma visão do mundo que recupera a herança greco-romana, utilizando-a como tema de inspiração.
c) ter valorizado o misticismo, o geocentrismo e as realizações culturais medievais.
d) centrar-se no homem, em oposição ao teocentrismo, encarando-o como "medida comum de todas as coisas".
e) romper os limites religiosos impostos pela Igreja às manifestações culturais.

36. (PUCCAMP) Sobre a importância do renascimento urbano e comercial, na fase de transição do feudalismo para o capitalismo, pode-se destacar:
a) o caráter assistencialista das corporações de ofício influindo na democratização da ordem social.
b) o enfraquecimento do poder dos reis à medida que as cidades se tornaram independentes da nobreza feudal.
c) o estímulo à centralização monárquica, à unificação das moedas, pesos e medidas e ao mercantilismo.
d) a oposição da burguesia comerciante à prática da usura e consequente apoio da Igreja aos seus empreendimentos marítimos.
e) o crescimento da burguesia repercutindo na decadência da política econômica mercantilista e na formação dos Estados Nacionais.

37. (UFF) Dentre os temas desenvolvidos pela cultura renascentista há um que se mantém presente até hoje - a utopia - despertando atenção, principalmente, em finais de século. Assinale a opção que se refere à ideia de utopia defendida no século XVI.
a) A ideia de utopia como tema central dos manuais de escolástica que se transformou no valor político mais importante da Igreja romana.
b) A ideia de utopia expressa por São Francisco de Assis, nas suas lições sobre a natureza dos homens e dos animais.
c) A ideia de utopia que revelava o caráter de oposição da Igreja ao novo tempo mundano e secular da renascença.
d) A ideia de utopia apresentada por Maquiavel em sua obra, O Príncipe, na qual defendeu o republicanismo.
e) A ideia de utopia exposta por Thomas Morus, na qual criticava os humanistas que reivindicavam a autoridade soberana do Príncipe.

38. (UNEM) O franciscano Roger Bacon foi condenado, entre 1277 e 1279, por dirigir ataques aos teólogos, por uma suposta crença na alquimia, na astrologia e no método experimental, e também por introduzir, no ensino, as ideias de Aristóteles. Em 1260, Roger Bacon escreveu: "Pode ser que se fabriquem máquinas graças às quais os maiores navios, dirigidos por um único homem, se desloquem mais depressa do que se fossem cheios de remadores; que se construam carros que avancem a uma velocidade incrível sem a ajuda de animais; que se fabriquem máquinas voadoras nas quais um homem (...) bata o ar com asas como um pássaro. Máquinas que permitam ir ao fundo dos mares e dos rios"
(apud. BRAUDEL, Fernand. "Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV-XVIII São Paulo: Martins Fontes, 1996, vol. 3).
Considerando a dinâmica do processo histórico, pode-se afirmar que as ideias de Roger Bacon
a) inseriam-se plenamente no espírito da Idade Média ao privilegiarem a crença em Deus como o principal meio para antecipar as descobertas da humanidade.
b) estavam em atraso com relação ao seu tempo ao desconsiderarem os instrumentos intelectuais oferecidos pela Igreja para o avanço científico da humanidade.
c) opunham-se ao desencadeamento da Primeira Revolução Industrial, ao rejeitarem a aplicação da matemática e do método experimental nas invenções industriais.
d) eram fundamentalmente voltadas para o passado, pois não apenas seguiam Aristóteles, como também baseavam-se na tradição e na teologia.
e) inseriam-se num movimento que convergiria mais tarde para o Renascimento, ao contemplarem a possibilidade de o ser humano controlar a natureza por meio das invenções.

39. (UEL) A arte renascentista, de uma forma geral, se caracterizou pela
a) representação abstrata do mundo.
b) estreita relação entre arte-romantismo-melancolia.
c) representação cubista da ideia de Deus.
d) aproximação entre arte-pesquisa-inovações técnicas.
e) valorização estética dos afrescos da antiguidade egípcia.

40. (UFC) A cultura renascentista favoreceu a valorização do homem, estimulando a liberdade de expressão presente em diferentes manifestações artísticas e literárias. Entretanto, a participação da Igreja Católica, entre os mecenas, pode ser associada:
a) à renovação das ideias defendidas pela hierarquia eclesiástica, que se deixara influenciar pelo liberalismo burguês.
b) à continuidade do cristianismo como religião dominante, limitando a liberdade de expressão aos valores estabelecidos pela Igreja.
c) ao engajamento da intelectualidade católica nas experiências científicas, na tentativa de conciliar razão e fé.
d) às novas condições de vida na Europa, que extinguiram a persistência dos valores religiosos na sociedade.
e) ao surgimento de novas ordens religiosas, defensoras do mecenato como um meio de maior liberdade de expressão.

41. (UFMG) "Que obra de arte é o homem: tão nobre no raciocínio, tão vário na capacidade; em forma o movimento, tão preciso e admirável; na ação é como um anjo; no entendimento é como um Deus; a beleza do mundo, o exemplo dos animais."
(SHAKESPEARE, William. HAMLET.)
O valor renascentista expresso nesse texto é
a) o antropomorfismo.
b) o hedonismo.
c) o humanismo.
d) o individualismo.
e) o racionalismo.

42. (UFMG) Miguel de Cervantes, um dos grandes expoentes renascentistas, pretendia com seu livro DOM QUIXOTE
a) denunciar o papel submisso da mulher, representado pela heroína Dulcinéia.
b) exaltar os valores da cavalaria, da honra, do herói, imortalizados na figura de Dom Quixote.
c) fazer uma crítica aos valores medievais, satirizando-os nas figuras de Dom Quixote e Sancho Pança.
d) mostrar a inutilidade da luta contra a Igreja, utilizando a imagem de Dom Quixote lutando contra os moinhos de vento.
e) satirizar a figura do monarca absoluto, ao entronizar Sancho Pança como rei da imaginária ilha da Cocanha.

43. (UFPE) Os caminhos da renovação científica favoreceram o surgimento de teorias que abriram novos caminhos para lançar os alicerces da ciência moderna. O inglês Francis Bacon foi um dos renovadores que escreveram obras importantes. Sobre ele, podemos afirmar que:
a) escreveu uma obra intitulada "Ensaios", onde faz uma importante análise do ser humano.
b) compartilhou do método cartesiano e foi defensor do racionalismo positivista.
c) não teve pretensões políticas; daí, sua grande dedicação à ciência.
d) formulou, juntamente com Campanella, a idealização da chamada Cidade do Sol.
e) foi, com Newton, o inventor do método indutivo, o qual revolucionou a Química e a Física.

44. (UNIRIO) Ao final do Renascimento, diversas transformações culturais e sociais ocorridas na Europa, entre os séculos XVI e XVII, propiciaram o surgimento da Revolução Científica. Esse movimento caracterizou-se por um (a):
a) predomínio da concepção de um universo fechado e sobrenatural.
b) negação dos valores individualistas do homem e das concepções naturalistas.
c) crítica à ciência medieval expressa no retorno do pensamento escolástico.
d) afirmação do monopólio da Igreja Católica na explicação das coisas do mundo.
e) valorização do espírito crítico e do método experimental.

45. (UNIRIO) Criada pelos humanistas italianos e retomada por Vasari, a noção de uma ressurreição das letras e das artes graças ao reencontro com a Antiguidade foi, seguramente, fecunda (...). Essa noção significa juventude, dinamismo, vontade de renovação (...). Teve em si a inevitável injustiça das abruptas declarações de adolescentes, que rompem ou creem romper com os gostos e as categorias mentais dos seus antecessores. Mas o termo "Renascimento", mesmo na acepção estrita dos humanistas, que o aplicavam, essencialmente, à literatura e às artes plásticas, parece-nos atualmente insuficiente.
(DELUMEAU, Jean. A CIVILIZAÇÃO DO RENASCIMENTO. Lisboa, Editorial Estampa, 1983, vol.1, p.19)
A revisão que o autor nos apresenta com relação ao termo Renascimento aponta para o fato de que a (o):
a) Idade Média não deve mais ser vista como um período de obscurantismo onde a cultura estava totalmente morta.
b) cultura medieval já realizava um questionamento ao teocentrismo, fato que foi apenas aprofundado pelo Humanismo e pelo Renascimento.
c) ruptura que os humanistas pretendiam com a Idade Média era apenas aparente, pois a suposta inspiração na Antiguidade esteve sempre subordinada aos padrões medievais.
d) obscurantismo medieval não impediu a existência de uma produção artística, embora esta fosse esteticamente inferior à da Renascença.
e) Humanismo ainda imprime ao Renascimento uma visão conformista com relação ao mundo, o que muito se assemelhava ao pensamento medieval.

46. (FUVEST) Já se observou que, enquanto a arquitetura medieval prega a humildade cristã, a arquitetura clássica e a do Renascimento proclamam a dignidade do homem. Sobre esse contraste pode-se afirmar que
a) corresponde, em termos de visão de mundo, ao que se conhece como teocentrismo e antropocentrismo.
b) aparece no conjunto das artes plásticas, mas não nas demais atividades culturais e religiosas decorrentes do humanismo.
c) surge também em todas as demais atividades artísticas, exprimindo as mudanças culturais promovidas pela escolástica.
d) corresponde a uma mudança de estilo na arquitetura, sem que a arte medieval como um todo tenha sido abandonada no Renascimento.
e) foi insuficiente para quebrar a continuidade existente entre a arquitetura medieval e a renascentista.

47. Em substituição aos valores dominantes da Idade Média, a mentalidade moderna formulou novos princípios, exceto:
a) Humanismo
b) homem antropocêntrico
c) Racionalismo
d) Individualismo
e) teocentrismo

48. O movimento intelectual e cultural que caracterizou a transição da mentalidade medieval para a mentalidade moderna ficou conhecido como:
a) Renascimento
b) Colonização
c) Descobrimento
d) humanização
e) Antropocentrismo

49. O renascimento caracterizou-se não apenas pela mudança na qualidade da obra intelectual, mas também pelo aumento na quantidade da produção cultural. Entre os fatores que influenciaram esse crescimento quantitativo destaca-se:
a) Desenvolvimento dos metais
b) O uso da roda
c) Desenvolvimento da agricultura moderna
d) Aumento na produção agropecuária.
e) Desenvolvimento da impressa.

50. Homens ricos que estimularam e patrocinaram o trabalho de artistas e intelectuais renascentistas:
a) humanistas
b) mecenas
c) Racionalistas
d) Individualistas
e) greco-romanos

51. O Renascimento iniciou-se:
a) Na França
b) Na Inglaterra
c) Na Holanda
d) Na península itálica
e) No Novo mundo

52. (VUNESP) A partir do século XII, em algumas regiões européias, nas cidades em crescimento, comerciantes, artesãos e bispos aliaram-se para a construção de catedrais com grandes pórticos, vitrais e rosáceas, produzindo uma "poética da luz", abóbodas e torres elevadas que dominavam os demais edifícios urbanos. O estilo da arte da época é denominado:
a) renascentista.
b) bizantino.
c) românico.
d) gótico.
e) barroco.

53. (UNIRIO) As manifestações culturais expressas no Renascimento, ocorrido na Europa entre os séculos XIV e XVI, apresentam as características abaixo com EXCEÇÃO de uma. Assinale-a.
a) Repúdio aos ideais escolásticos.
b) Crítica ao pensamento escolástico.
c) Valorização das obras clássicas da cultura greco-romana.
d) Fortalecimento do humanismo e do individualismo.
e) Negação das concepções antropocêntricas e naturalistas.

54. (FAZU) Antropocentrismo, Naturalismo, Hedonismo, Racionalismo. As características acima fazem referência a qual movimento cultural:
a) Iluminismo
b) Trovadorismo
c) Renascimento
d) Romantismo
e) Pós-Modernismo

55. (UFC) “Quando reconsidero ou observo os Estados florescentes, não vejo neles, Deus me perdoe, senão uma espécie de conspiração dos ricos para cuidar de seus interesses pessoais”.
(MORUS, Tomás. A Utopia. Porto Alegre, L&PM, 1997 p.163)
Este trecho do livro Utopia, de Tomás Morus, publicado em 1516, no qual o autor descreve um lugar imaginário sem propriedade privada nem dinheiro, onde prevalece a preocupação com a felicidade coletiva, deve ser atribuído ao seguinte movimento:
a) ao Renascimento, movimento de renovação cultural que se preocupava com o homem e sua organização social.
b) ao anarquismo, que pregava a destruição do Estado.
c) ao Iluminismo, que propunha a divisão dos três poderes: legislativo, executivo e judiciário.
d) ao socialismo, que propunha a tomada do poder pelo proletariado.
e) à Reforma Protestante, que questionava o poder da Igreja de Roma de interferir nas políticas nacionais.

56. (MACKENZIE) Nicolau Maquiavel (1469-1567), pensador florentino, afirmava que a obrigação suprema do governante é manter o poder e a segurança do país que governa. E, para atingir seus objetivos, o governante deve usar de todos os meios disponíveis, pois “os fins justificam os meios”. Suas idéias ficaram imortalizadas na obra:
a) Leviatã.
b) Política Segundo as Sagradas Escrituras.
c) A Arte da Guerra.
d) A Divina Comédia.
e) O Príncipe.

57. (MACKENZIE) Muitos artistas e filósofos do Renascimento escreveram sobre a natureza e o seu valor para a arte, mas nenhum foi tão bom observador como Leonardo da Vinci. A prova, tanto da sua curiosidade insaciável como de seu entendimento profundo da natureza, pode encontrar-se nos seus muitos desenhos e livros de notas.
O Mundo do Renascimento
Dentre as principais características do movimento denominado Renascimento Cultural, encontradas nas obras de Leonardo da Vinci, podemos destacar:
a) o bidimensionalismo estético e a desvalorização do ser humano.
b) o naturalismo e o geocentrismo.
c) o antropocentrismo e o humanismo.
d) o teocentrismo e o uso de conceitos irracionais abstratos.
e) a arte humanista e a ausência da perspectiva linear.

58. (FEI) As principais características do Renascimento foram:
a) teocentrismo, realismo e intensa espiritualidade;
b) romantismo, espírito critico em relação à política, temas de inspiração exclusivamente naturalistas.
c) ausência de perspectiva e adoção de temas do cotidiano religioso, tendo como foco apenas os valores espirituais.
d) uso de temas ecológicos evidenciando a preocupação com o meio ambiente, execução de variados retratos de personalidades da época.
e) antropocentrismo, humanismo e inspiração greco-romana.

59. (PUCSP)
(...)
Outras coisas que viu, mui numerosas,
Pedem tempo que o verso meu não dura,
Pois lá encontrou, guardadas e copiosas,
Mil coisas de que andamos à procura.
Só de loucura não viu muito ou pouco
Que ela não sai de nosso mundo louco.
Mostrou-se-lhe também o que era seu,
O tempo e as muitas obras que perdia,
(...)
Viu mais o que ninguém suplica ao céu,
Pois todos cremos tê-lo em demasia:
Digo o siso, montanha ali mais alta
Que as erguidas do mais que aqui nos falta.
ARIOSTO, Ludovico. Orlando Furioso. São Paulo: Atelier,
2002. p. 261.
O trecho acima, de um livro de 1516, narra parte de uma viagem imaginária à Lua. Lá, o personagem encontra o que não há na Terra e não encontra o que aqui há em excesso. Pode-se identificar o caráter humanista do texto na
a) certeza, de origem cristã, de que a reza (suplicar ao céu) é a única forma de se obter o que se busca.
b) constatação da pouca razão (siso) e da grande loucura existente entre os homens.
c) aceitação da limitada capacidade humana de fazer poesia (o verso meu não dura).
d) percepção do desleixo e da indiferença humanos (o tempo e as muitas obras que perdia).
e) ambição dos homens em sua busca de bens (Mil coisas de que andamos à procura).

60. (UEL) Considere os itens adiante.
I. "... a busca da perfeição no retratar o homem levou a uma simbiose entre arte e ciência, desenvolvendo-se estudos de anatomia, técnicas de cores, perspectivas..."
II. ' ... o teocentrismo, o coletivismo, a tradição marcaram as obras de arte do período e estiveram presentes na pintura, na arquitetura e na escultura..."
III. " ... procuram explicar o mundo através de novas teorias, fugindo às interpretações religiosas típicas do período anterior. O grande destaque é a utilização do método experimental...'
O Renascimento é identificado em:
a) somente II.
b) somente I e II.
c) somente I e III.
d) somente II e III.
e) I, II e III.

61. (PUCCAMP) Na transição do Mundo Medieval para o Moderno, teve papel de destaque:
A) a educação ministrada pelos leigos nos conventos e nas abadias.
B) o processo de ruralização das vilas e dos centros urbanos.
C) o comércio e o renascimento das cidades.
D) o poder político altamente descentralizado.
E) a Igreja, que acatava o lucro e a usura.

62. (PUCCAMP) No século XVI, diversos movimentos reformistas de caráter religioso despontaram na Europa. Sobre esses movimentos é correto afirmar que o:
A) Humanismo foi o último movimento reformista que criticou os abusos contidos nas práticas da Igreja Católica, propondo a escolha do Papa pelos imperadores e reis.
B) Concílio de Trento marcou a reação da Igreja à difusão do Protestantismo, reafirmando os dogmas católicos e fortalecendo os instrumentos de poder do papado, tais como o Tribunal de Santo Ofício e a criação do Índice de Livros Proibidos.
C) Luteranismo difundiu-se rapidamente entre os segmentos servis da Alemanha e das regiões nórdicas, pois pregava a insubordinação e a luta armada dos camponeses contra a nobreza senhorial e o clero, aliados políticos nessas regiões.
D) Calvinismo significou um recrudescimento das concepções e práticas reformistas, pois criticou os valores burgueses através da condenação do empréstimo de dinheiro a juros e do trabalho manual.
E) Anglicanismo reforçou a autoridade do Vaticano na Inglaterra, com a promulgação do Ato de Supremacia por Henrique VIII, que devolveu os bens e as propriedades do clero católico confiscadas pela nobreza inglesa.

63. (UFMG) Todas as alternativas apresentam conceitos que traduzem o ideário característico do século XIX, EXCETO:
a) Anarquismo.
b) Humanismo.
c) Liberalismo.
d) Sindicalismo.
e) Socialismo.

64. (VUNESP) "Hoje não vemos em Petrarca senão o grande poeta italiano. Entre os seus contemporâneos, pelo contrário, o seu principal título de glória estava em que de algum modo ele representava pessoalmente a Antigüidade (...) Acontece o mesmo com Bocácio (...) Antes do seu Decameron ser conhecido (...) admiravam-no pelas suas compilações mitográficas, geográficas e biográficas em língua latina."
(Jacob Burckardt, A CIVILIZAÇÃO DA RENASCENÇA ITALIANA.)
Petrarca e Bocácio estão intimamente relacionados ao:
a) nascimento do humanismo.
b) declínio da literatura barroca.
c) triunfo do protestantismo.
d) apogeu da escolástica.
e) racionalismo clássico.

65. (CESGRANRIO) A Europa Ocidental, nos séculos XV e XVI, sofreu diversas transformações políticas, econômicas e sociais. Sobre essas transformações podemos afirmar que:
l - o Humanismo e o Renascimento foram movimentos intelectuais e artísticos que privilegiaram a observação da natureza.
2 - a Reforma Luterana, identificando-se com os segmentos camponeses alemães, difundiu-se em virtude da centralização do Estado alemão.
3 - a Reforma Calvinista aproximava-se da moral burguesa, pois encorajava o trabalho e o lucro.
4 - a reação da Igreja Católica, denominada Contra-Reforma, através do Concílio de Trento (1545), tentou barrar o avanço protestante, alterando os dogmas da fé católica.
As afirmativas corretas são:
a) apenas l e 2.
b) apenas l e 3.
c) apenas l e 4.
d) apenas 2 e 3.
e) apenas 2 e 4.

66. (UFSCAR) Leonardo da Vinci foi, além de artista, um dos teóricos de arte do Renascimento italiano. Em seu Tratado de Pintura escreve que a beleza consiste numa gradação de sombra — “Demasiada luz é agressiva;demasiada sombra impede-se que se veja” — e, mais à frente, define a pintura como imitação de “todos os produtos visíveis da natureza (...) todos banhados pela sombra e pela luz.” A partir destes fragmentos do Tratado de Pintura, pode-se concluir que a concepção artística do Renascimento pressupõe
A) um trabalho desenvolvido pelo artista dentro de ateliês, considerando que o controle da iluminação se torna fundamental.
B) uma associação entre estética e luz, entendendo a luz, em uma perspectiva teocêntrica, como a presença de Deus no mundo.
C) a separação entre o desenho, a representação do movimento, os limites da figura e o fundo ou a atmosfera.
D) um ideal de equilíbrio, expresso pela noção de distribuição simétrica de volumes e cores na superfície pintada.
E) a liberdade do artista no momento de realização de seu trabalho, exprimindo suas paixões e seus sentimentos mais exaltados.

67. (ENEM) O texto foi extraído da peça Tróilo e Créssida de William Shakespeare, escrita, provavelmente, em 1601.
“Os próprios céus, os planetas, e este centro reconhecem graus, prioridade, classe, constância, marcha, distância, estação, forma, função e regularidade, sempre iguais; eis porque o glorioso astro Sol está em nobre eminência entronizado e centralizado no meio dos outros, e o seu olhar benfazejo corrige os maus aspectos dos planetas malfazejos, e, qual rei que comanda, ordena sem entraves aos bons e aos maus.”
(personagem Ulysses, Ato I, cena III).
SHAKESPEARE, W. Tróilo e Créssida. Porto: Lello & Irmão, 1948.
A descrição feita pelo dramaturgo renascentista inglês se aproxima da teoria
a) geocêntrica do grego Claudius Ptolomeu.
b) da reflexão da luz do árabe Alhazen.
c) heliocêntrica do polonês Nicolau Copérnico.
d) da rotação terrestre do italiano Galileu Galilei.
e) da gravitação universal do inglês Isaac Newton.

68. (FGV) “Daqui nasce um dilema: é melhor ser amado que temido, ou o inverso? Respondo que seria preferível ser ambas as coisas, mas, como é muito difícil conciliá-las, parece-me muito mais seguro ser temido do que amado, se só se puder ser uma delas (...).”
MAQUIAVEL, N., O Príncipe. 2ª ed., Trad., Mira-Sintra — Mem Martins, Ed. Europa-América, 1976, p. 89.
A respeito do pensamento político de Maquiavel, é correto afirmar:
A) Mantinha uma nítida vinculação entre a política e os princípios morais do cristianismo.
B) Apresentava uma clara defesa da representação popular e dos ideais democráticos.
C) Servia de base para a ofensiva da Igreja em confronto com os poderes civis na Itália.
D) Sustentava que o objetivo de um governante era a conquista e a manutenção do poder.
E) Censurava qualquer tipo de ação violenta por parte dos governantes contra seus súditos.

69. (VUNESP) Nascido na Itália, o Renascimento — movimento intelectual, científico, artístico e literário — espalhou-se pela Europa, mas de forma desigual. Considere as seguintes afirmações a respeito desse movimento.
I. A arte renascentista tinha como característica principal a exploração dos motivos religiosos, recebendo, dessa maneira, o apoio do clero e dos mecenas.
II. O Renascimento foi um movimento que valorizou o antropocentrismo, o hedonismo, o racionalismo, o individualismo e o naturalismo.
III. No plano político, sua principal conseqüência foi contribuir para o advento do Absolutismo, ao laicizar a sociedade e revalorizar o Direito Romano.
IV. O combate central das idéias renascentistas residiu na defesa das concepções de mundo baseadas no teocentrismo e na escolástica, então emergentes.
V. A Itália acumulou maior quantidade de capital e alcançou desenvolvimento comercial e urbano invejável, gerando excedentes econômicos para se investir em obras de arte.
Está correto apenas o contido em
A) I, II e III.
B) I, IV e V.
C) II, III e IV.
D) II, III e V.
E) III, IV e V.

70. (FUVEST) “No campo científico e matemático, o processo da investigação racional percorreu um longo caminho. Os Elementos de Euclides, a descoberta de Arquimedes sobre a gravidade, o cálculo por Eratóstenes do diâmetro da terra com um erro de apenas algumas centenas de quilômetros do número exato, todos esses feitos, não seriam igualados na Europa durante 1500 anos”.
Moses I. Finley. Os gregos antigos
O período a que se refere o historiador Finley, para a retomada do desenvolvimento científico, corresponde
a) ao Helenismo, que facilitou a incorporação das ciências persa e hindu às de origem grega.
b) à criação das universidades nas cidades da Idade Média, onde se desenvolveram as teorias escolásticas.
c) ao apogeu do Império Bizantino, quando se incentivou a condensação da produção dos autores gregos.
d) à expansão marítimo-comercial e ao Renascimento, quando se lançaram as bases da ciência moderna.
e) ao desenvolvimento da Revolução Industrial na Inglaterra, que conseguiu separar a técnica da ciência.

71. (MACKENZIE) No início da Idade Moderna, buscando construir um novo tipo de sociedade, por meio da difusão de novos padrões de comportamento, surgiram, na Península Itálica, ricos patrocinadores das artes e das ciências, que objetivavam não só a promoção pessoal, mas também proveitos culturais e econômicos. Assinale a alternativa que indica como são denominados
esses patrocinadores.
a) Neoplatônicos
b) Condottieris
c) Mecenas
d) Humanistas
e) Hedonistas

72. (VUNESP-2008) Galileu, talvez mais que qualquer outra pessoa, foi o responsável pelo surgimento da ciência moderna. O famoso conflito com a Igreja católica se demonstrou fundamental para sua filosofia; é dele a argumentação pioneira de que o homem pode ter expectativas de compreensão do funcionamento do universo e que pode atingi-la através da observação do mundo real.
(Stephen Hawking, Uma breve história do tempo.)
O “famoso conflito com a Igreja católica” a que se refere o autor corresponde
a) à decisão de Galileu de seguir as idéias da Reforma Protestante, favoráveis ao desenvolvimento das ciências modernas.
b) ao julgamento de Galileu pela Inquisição, obrigando-o a renunciar publicamente às idéias de Copérnico.
c) à opção de Galileu de combater a autoridade política do Papa e a venda de indulgências pela Igreja.
d) à crítica de Galileu à livre interpretação da Bíblia, ao racionalismo moderno e à observação da natureza.
e) à defesa da superioridade da cultura grega da antigüidade, feita por Galileu, sobre os princípios das ciências naturais.

73. (UFPR) O Renascimento foi um período de alteração substancial no panorama da cultura européia. Assinale a alternativa que apresenta Leonardo da Vinci (1452-1519) como representante exemplar desse contexto renascentista.
a) O universo temático que marca a obra de Leonardo da Vinci revela a sua principal característica como intelectual: a vocação para tornar-se especialista de uma área em detrimento das demais.
b) Há o reconhecimento de que a qualidade de seu trabalho se deve a sua capacidade de distanciar-se das questões cotidianas e refletir sobre as implicações do conhecimento teórico puro.
c) Leonardo da Vinci possuía aversão em relação ao traçado do corpo humano, na medida em que este representava para ele a imperfeição e os limites da criação divina.
d) O talentoso italiano ganhou notoriedade ao defender a tese de que o artista deve afastar-se da reflexão filosófica para dar vazão a sua criatividade no campo da arte.
e) Leonardo da Vinci articulou o saber técnico com o conhecimento científico sobre a natureza das coisas e das artes humanas.

74. (FGV) Acerca do Renascimento:
I - As características do homem no Renascimento são: racionalismo, individualismo, naturalismo e antropocentrismo, em oposição aos valores medievais baseados no teocentrismo.
II - O Renascimento não foi um processo homogêneo. Seu desenvolvimento foi muito desigual e as manifestações mais expressivas se deram nos campos das artes e das ciências, sendo que no campo artístico, a literatura e as artes plásticas ocupavam lugar de destaque.
III - A arte renascentista tomou-se predominantemente religiosa, retratando a vida de santos, de clérigos e o cotidiano cristão da época.
IV - A Itália foi o centro do Renascimento porque era o centro do pré-capitalísmo e do desenvolvimento comercial e urbano, que gerava os excedentes de capital mercantil para o investimento em obras de arte.
V - A ascensão do clero foi fundamental para que se desenvolvesse nos Estados italianos um poderoso mecenato, plenamente identificado com as concepções terrenas dominantes entre os eclesiásticos.
É correto apenas o afirmado em:
a) I, II, III.
b) I, II, IV.
c) I, II, V.
d) I, III, V.
e) II, IV, V.

80. A Mentalidade renascentista promove uma transformação no modo de pensar quando comparado com o homem medieval. Assinale a alternativa onde está comparação está correta:
a) Os medievais a verdade está na razão e nos renascentistas a verdade é encontrada nas tradições, na Igreja.
b) O medievo é ligado ao domínio cultura da Igreja Católica, enquanto os renascentistas o domínio cultural demonstra-se através dos Intelectuais, artistas e cientistas
c) Medieval – Antropocentrismo enquanto Renascimento – Teocentrismo.
d) O homem medieval deve conhecer a natureza para melhor dominá-la enquanto o renascentista a natureza deveria ficar distante do homem, porque é pecaminosa.

81. (VUNESP) “... tenho sido, durante muitos anos, um aderente à teoria de Copérnico. Isto me explica a causa de muitos fenômenos que são ininteligíveis por meio de teorias geralmente aceitas. Eu tenho coligido muitos argumentos para refutar estas últimas, mas eu não me arriscaria a levá-los à publicação. Há muito tempo que estou convencido de que a Lua é um corpo como a Terra. Descobri também uma multidão de estrelas fixas, a princípio invisíveis, ultrapassando mais de dez vezes as que se podem ver a olho nu, formando a Via Láctea.”
(Carta de Galileu a Kepler, 1597.)
Galileu não se arriscava a publicar essas idéias por temer
A) a oposição que sofreria por parte de seus alunos e colegas da Universidade de Pisa, onde lecionava.
B) ser considerado um plagiador das idéias heliocêntricas defendidas por Copérnico e por alguns sábios florentinos.
C) que seus pressupostos geocêntricos contribuíssem para aumentar as hostilidades contra a Igreja Católica.
D) que seus superiores o expulsassem da Ordem dos Franciscanos, à qual pertencia desde a adolescência.
E) ser acusado de heresia e ter de enfrentar o poderoso Tribunal do Santo Ofício, mantido pela Igreja.

82. (ENEM) O franciscano Roger Bacon foi condenado, entre 1277 e 1279, por dirigir ataques aos teólogos, por uma suposta crença na alquimia, na astrologia e no método experimental, e também por introduzir, no ensino, as idéias de Aristóteles. Em 1260, Roger Bacon escreveu:
“Pode ser que se fabriquem máquinas graças às quais os maiores navios, dirigidos por um único homem, se desloquem mais depressa do que se fossem cheios de remadores; que se construam carros que avancem a uma velocidade incrível sem a ajuda de animais; que se fabriquem máquinas voadoras nas quais um homem (...) bata o ar com asas como um pássaro. (...) Máquinas que permitam ir ao fundo dos mares e dos rios”
(apud. BRAUDEL, Fernand. Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV-XVIII, São Paulo: Martins Fontes, 1996, vol. 3.).
Considerando a dinâmica do processo histórico, pode-se afirmar que as idéias de Roger Bacon
a) inseriam-se plenamente no espírito da Idade Média ao privilegiarem a crença em Deus como o principal meio para antecipar as descobertas da humanidade.
b) estavam em atraso com relação ao seu tempo ao desconsiderarem os instrumentos intelectuais oferecidos pela Igreja para o avanço científico da humanidade.
c) opunham-se ao desencadeamento da Primeira Revolução Industrial, ao rejeitarem a aplicação da matemática e do método experimental nas invenções industriais.
d) eram fundamentalmente voltadas para o passado, pois não apenas seguiam Aristóteles, como também baseavam-se na tradição e na teologia.
e) inseriam-se num movimento que convergiria mais tarde para o Renascimento, ao contemplarem a possibilidade de o ser humano controlar a natureza por meio das invenções.

83. (UFTM) O Renascimento cultural teve sua origem nas mudanças políticas, econômicas e sociais ocorridas a partir da Baixa Idade Média. Foram transformações dos padrões de comportamento, das crenças, das instituições, dos valores espirituais e materiais transmitidos coletivamente e que atingiram a alta burguesia e a nobreza, excluindo os demais segmentos da sociedade.
(Myriam Mota e Patrícia Braick, História: das cavernas ao Terceiro Milênio)
Dentre as transformações a que as autoras se referem, é correto mencionar
a) a afirmação dos Estados liberais, sob controle da burguesia, a partir da retomada do estudo do Direito Romano nas universidades.
b) o desenvolvimento das atividades mercantis, que fez surgir uma nova camada social interessada em valorizar no indivíduo e a razão.
c) o fortalecimento da autoridade dos doutores da Igreja católica, que defendiam a fé como meio de compreensão da realidade material.
d) a ascensão política das camadas populares, que questionaram a visão de mundo centrada em Deus e incentivaram a crítica e a experimentação.
e) a consolidação do sistema fabril, substituindo as corporações medievais, devido às novas exigências da economia autossuficiente.

84. (VUNESP) Todas as coisas humanas têm dois aspectos... para dizer a verdade todo este mundo não é senão uma sombra e uma aparência; mas esta grande e interminável comédia não pode representar-se de um outro modo. Tudo na vida é tão obscuro, tão diverso, tão oposto, que não podemos nos assegurar de nenhuma verdade.
(Erasmo de Roterdã, Elogio da loucura.)
Erasmo de Roterdã foi um dos primeiros pensadores a contribuir para o surgimento da modernidade. Nesse texto, de 1509, pode-se considerar moderno
a) o elogio da loucura, vista como uma forma sofisticada de sensibilidade.
b) o caráter obscuro e sombrio da vida, na qual o homem deve mover-se pela fé.
c) a ausência de verdades absolutas, em contraste com as verdades do clero.
d) a idéia de que o mundo é uma comédia, e nós homens devemos nos divertir.
e) a idéia de que o mundo é aparência, mera representação do plano divino.

85. (MACKENZIE) (...) Dante e Maquiavel conheceram o exílio, Campanella e Galileu foram submetidos a prisão e tortura, Thomas Morus foi decapitado por ordem de Henrique VIII, Giordano Bruno e Étienne Dolet foram condenados à fogueira pela Inquisição, Miguel de Servet foi igualmente queimado vivo pelos calvinistas de Genebra, para só mencionarmos o destino trágico de alguns dos mais famosos representantes do humanismo. Mesmo as constantes viagens e mudanças de Erasmo de Rotterdam e de Paracelso, por exemplo, eram em grande parte motivadas pelas perseguições que lhes moviam seus inimigos poderosos. Nicolau Sevcenko - O Renascimenmto
A razão para as perseguições aos sábios humanistas, mencionadas no trecho acima, pode ser encontrada, em suas linhas gerais,
a) no conflito aberto com a Igreja católica, provocado pelo ateísmo dos pensadores humanistas, que identificavam, na sujeição do homem a Deus, um obstáculo ao seu desenvolvimento pleno.
b) no choque entre, de um lado, o conservantismo de homens e de instituições ligados à cultura e aos valores tradicionais e do outro, o alento renovador daqueles que, inspirados em modelos da Antigüidade, buscavam novas formas de interpretar o homem e o mundo.
c) no temor que tomou conta da nobreza e do clero ante o perigo de perder suas terras e riquezas, vistas pelos humanistas como a causa da miséria geral, e, por isso, alvo das pregações revolucionárias.
d) no perigo que representavam para os reis absolutistas as obras políticas dos humanistas, como Dante e Maquiavel, que defendiam um modelo de Estado democrático, não monárquico e laico.
e) no confronto entre os dogmas cristãos (católicos e reformados) e o paganismo antigo, sendo este considerado pelos humanistas como uma religião superior, e que deveria, por conseqüência, substituir o cristianismo.

86. (FUVEST) Nos séculos XIV e XV, a Itália foi a região mais rica e influente da Europa. Isso ocorreu devido à
a) iniciativa pioneira na busca do caminho marítimo para as Índias.
b) centralização precoce do poder monárquico nessa região.
c) ausência completa de relações feudais em todo o seu território.
d) neutralidade da península itálica frente à guerra generalizada na Europa.
e) combinação de desenvolvimento comercial com pujança artística.

87. (ESPM) Que obra de arte é o homem: tão nobre no raciocínio; tão vário na capacidade; em forma de movimento, tão preciso e admirável, na ação é como um anjo; no entendimento é como um Deus; a beleza do mundo, o exemplo dos animais.
(Willian Shakespeare. Hamlet)
Pois o Senhor reinará na terra com seus santos, como dizem as escrituras, e nela terá sua Igreja, na qual nenhum mal penetrará, afastada e pura de toda a mancha do mal. A Igreja se revelará então com grande clareza, dignidade e justiça. Então não haverá prazer em enganar, em mentir, em ocultar o lobo sob a pele da ovelha.
(Santo Agostinho. A Cidade de Deus)
Os textos permitem constatar o contraste de diferentes concepções entre a renascença e a mentalidade medieval. A alternativa que apresenta o contraste que os textos revelam é:
a) humanismo X laicismo.
b) individualismo X coletivismo.
c) antropocentrismo X teocentrismo.
d) hedonismo X misticismo.
e) naturalismo X dogmatismo.

88. (UFRS) Relacione as obras renascentistas com os seus autores.
1. Dante Allighieri
2. Rabelais
3. Copérnico
4. Montaigne
5. Erasmo de Rotterdam
(           ) Gargântua e Pantagruel
(           ) O Elogio da Loucura
(           ) Ensaios
(           ) A Divina Comédia
(           ) As Revoluções dos Orbes Celestes
A seqüência numérica correta, de cima para baixo, na coluna da direita, é
A) 5 - 4 - 3 - 2 - 1
B) 2 - 5 - 4 - 1 - 3
C) 1 - 2 - 3 - 4 - 5
D) 5 - 2 - 1 - 3 - 4
E) 3 - 1 - 2 - 4 - 5

89. (FUVEST) Das três seguintes formulações — primeiro, a de Copérnico, a terra não é o centro do mundo, depois a de Darwin, não nascemos de Deus mas viemos do macaco, e, por último, a de Freud, não somos senhores de nossa própria consciência — pode-se dizer que
a) contribuem para tornar o homem cada vez mais confiante e orgulhoso de sua infalibilidade e perfeição.
b) constituem os fundamentos da modernidade e desfecham golpes profundos na pretensão do homem de ser o centro do universo.
c) fortalecem a posição científica dos que criticam esses pressupostos, tendo em vista sua falta de fundamentação empírica.
d) perdem cada vez mais credibilidade com o avanço científico proporcionado pela astronomia, biologia e psicologia.
e) harmonizam-se com as concepções dos que defendem a tese criacionista, ou que propõem um desenho inteligente sobre a criação do universo.

90. (MACKENZIE) Renascimento é a denominação usual para as mudanças de caráter cultural ocorridas nos países europeus durante o período que vai, aproximadamente, de 1300 a 1650. No campo das ciências e das artes podemos considerar como expressões desse período os trabalhos de:
a) René Descartes, Ludwig van Beethoven e Thomas Malthus.
b) Augusto Comte, Adam Smith e Igor Stravinsky.
c) Fillippo Marinetti, Luigi Russolo e R. Colligwood.
d) Johann Kepler, Josquin des Prés e William Shakespeare.
e) Richard Wagner, Georg Wilhelm Hegel e Francisco Goya.

91. (UNICAMP) De uma forma inteiramente inédita, os humanistas, entre os séculos XV e XVI, criaram uma nova forma de entender a realidade. Magia e ciência, poesia e filosofia misturavam-se e auxiliavam-se, numa sociedade atravessada por inquietações religiosas e por exigências práticas de todo gênero.
(Adaptado de Eugenio Garin, Ciência e vida civil no Renascimento italiano. São Paulo: Ed. Unesp, 1994, p. 11.)
Sobre o tema, é correto afirmar que:
a) O pensamento humanista implicava a total recusa da existência de Deus nas artes e na ciência, o que libertava o homem para conhecer a natureza e a sociedade.
b) A mistura de conhecimentos das mais diferentes origens - como a magia e a ciência - levou a uma instabilidade imprevisível, que lançou a Europa numa onda de obscurantismo que apenas o Iluminismo pôde reverter.
c) As transformações artísticas e políticas do Renascimento incluíram a inspiração nos ideais da Antiguidade Clássica na pintura, na arquitetura e na escultura.
d) As inquietações religiosas vividas principalmente ao longo do século XVI culminaram nas Reformas Calvinista, Luterana, Anglicana e finalmente no movimento da Contrarreforma, que defendeu a fé protestante contra seus inimigos.

92. (AMAN) As transformações culturais ocorridas na Europa dos séculos XIV a XVI ficaram conhecidas como Renascimento. Foram características deste movimento:
a) Misticismo e tentativas de reinterpretar o cristianismo.
b) Teocentrismo e recuperação de línguas clássicas (latim e grego).
c) Individualismo e utilização de novos recursos como a perspectiva no desenho e na pintura.
d) Racionalismo e críticas ao período conhecido como Antiguidade Clássica.
e) Antropocentrismo e rejeição de temas religiosas nas produções artísticas.

93. (ENEM) Acompanhando a intenção da burguesia renascentista de ampliar seu domínio sobre a natureza e sobre o espaço geográfico, através da pesquisa científica e da invenção tecnológica, os cientistas também iriam se atirar nessa aventura, tentando conquistar a forma, o movimento, o espaço, a luz, a cor e mesmo a expressão e o sentimento.
SEVCENKO, N. O Renascimento. Campinas: Unicamp, 1984.
O texto apresenta um espírito de época que afetou também a produção artística, marcada pela constante relação entre
a) fé e misticismo.
b) ciência e arte.
c) cultura e comércio.
d) política e economia.
e) astronomia e religião.

94. (CPS) A natação, hoje considerada um dos esportes mais completos, já era mencionada na Grã-Bretanha, desde os tempos da dominação romana, época em que era considerada uma prática da elite. Com a chegada do feudalismo, a natação torna-se rara, pois era incompatível com guerreiros que frequentemente usavam armaduras. Mas o interesse pelo esporte ressurgiu no fim do século XVI, quando em 1587, o professor Everard Digby publicou o livro intitulado A arte de nadar. Ele queria transformar a natação em um esporte para fidalgos, na tentativa de torná-los mais parecidos com os romanos. A obra de Digby, cujos capítulos explicam e ilustram como nadar, foi indicada, por outros educadores, aos fidalgos da Inglaterra dos Tudor e dos Stuarts.
(Revista BBC Knowledge, maio de 2010. Adaptado)
Sobre o livro de Digby, é valido afirmar que foi
a) escrito na Antiguidade Clássica, período em que prevaleceu a cultura cristã.
b) divulgado quando o antropocentrismo e o individualismo renascentista prevaleciam.
c) indicado às necessidades dos senhores feudais que estavam interessados na natação.
d) escrito no período do Iluminismo, filosofia que tinha como base o racionalismo, o liberalismo e o pensamento científico.
e) publicado pelo autor numa época em que a Inglaterra passava por profundas mudanças econômicas, devido à Revolução Industrial.

95. (UNICAMP) Para as artes visuais florescerem no Renascimento era preciso um ambiente urbano. Nos séculos XV e XVI, as regiões mais altamente urbanizadas da Europa Ocidental localizavam-se na Itália e nos Países Baixos, e essas foram as regiões de onde veio grande parte dos artistas.
(Adaptado de Peter Burke, O Renascimento Italiano. São Paulo: Nova Alexandria, 1999, p. 64.)
A relação entre o Renascimento cultural e o ambiente urbano na Europa dos séculos XV e XVI justifica-se porque.
a) as cidades eram centros comerciais e favoreciam o contato com a cultura árabe, cujo domínio das técnicas do retrato e da perspectiva sobrepôs-se à arte europeia, dando origem ao Renascimento.
b) a presença de artistas nas cidades atraía os investimentos de ricos burgueses em busca de prestígio social, fazendo com que as regiões que concentravam os artistas, como a Itália e os Países Baixos, se urbanizassem mais que as outras.
c) nas cidades podia-se estudar a cultura artística em universidades, dedicadas ao cultivo da tradição clássica e ao ensino de novas técnicas, como o uso do estilo gótico na arquitetura e da perspectiva na pintura.
d) a riqueza concentrada nas cidades permitia a prática do mecenato, enquanto o crescimento do comércio estimulava o encontro entre as culturas europeia e bizantina, possibilitando a redescoberta dos valores da antiguidade clássica.

96. (UNESP) Os centros artísticos, na verdade, poderiam ser definidos como lugares caracterizados pela presença de um número razoável de artistas e de grupos significativos de consumidores, que por motivações variadas — glorificação familiar ou individual, desejo de hegemonia ou ânsia de salvação eterna — estão dispostos a investir em obras de arte uma parte das suas riquezas. Este último ponto implica, evidentemente, que o centro seja um lugar ao qual afluem quantidades consideráveis de recursos eventualmente destinados à produção artística. Além disso, poderá ser dotado de instituições de tutela, formação e promoção de artistas, bem como de distribuição das obras. Por fim, terá um público muito mais vasto que o dos consumidores propriamente ditos: um público não homogêneo, certamente (...).
(Carlo Ginzburg. A micro-história e outros ensaios, 1991.)
Os “centros artísticos” descritos no texto podem ser identificados
a) nos mosteiros medievais, onde se valorizava especialmente a arte sacra.
b) nas cidades modernas, onde floresceu o Renascimento cultural.
c) nos centros urbanos romanos, onde predominava a escultura gótica.
d) nas cidades-estados gregas, onde o estilo dórico era hegemônico.
e) nos castelos senhoriais, onde prevalecia a arquitetura românica.

97. (UFC) A análise histórica do Renascimento italiano, caso das obras de Leonardo da Vinci e de Brunelleschi, permite identificar uma convergência entre as artes plásticas e as concepções burguesas sobre a natureza e o mundo naquele período. Acerca da relação entre artistas e burgueses, é correto afirmar que ambos:
a) convergiram em ideias, pois valorizavam a pesquisa científica e a invenção tecnológica.
b) retomaram o conceito medieval de antropocentrismo ao valorizar o indivíduo e suas obras pessoais.
c) adotaram os valores da cultura medieval para se contrapor ao avanço político e econômico dos países protestantes.
d) discordaram quanto aos assuntos a serem abordados nas pinturas, pois os burgueses não financiavam obras com temas religiosos.
e) defenderam a adoção de uma postura menos opulenta em acordo com os ideais do capitalismo emergente e das técnicas mais simples das artes.

98. (MACKENZIE) "A natureza, ao dar-vos um filho, vos presenteia com uma criatura rude, sem forma, a qual deveis moldar para que se converta em um homem de verdade. Se esse ser moldado se descuidar, continuareis tendo um animal; se, ao contrário, ele se realizar com sabedoria, eu poderia quase dizer que resultaria em um ser semelhante a Deus."
Erasmo de Roterdã
No trecho anterior, datado de 1529, do filólogo e pensador da cidade holandesa de Roterdã, encontra-se manifesta a presença do pensamento
a) teocentrista, priorizando a ideia do sobrenatural e da ligação do Homem com o divino.
b) experimentalista, em que todo e qualquer conhecimento humano se daria por meio da investigação científica.
c) escolasticista, doutrina que admitia a fé como a única fonte verdadeira de conhecimento.
d) antropocentrista, valorizando o Homem e suas obras como base para uma visão mais racional do mundo.
e) epicurista, apontando para uma postura ideológica que configurou a transição para a Idade Moderna.

99. (UFAC) Referindo-se ao Renascimento, é correto afirmar que:
a) surgiu na Grécia por volta do século II d. C, tendo sido pouco influente na Itália.
b) os renascentistas criticavam o humanismo por ser uma forma de pensamento filosófico que considera o ser humano como a obra mais importante da criação.
c) caracterizou-se principalmente pela valorização da racionalidade do ser humano, isto é, da capacidade humana de conhecer a realidade por meio da razão e da observação objetiva da natureza, não mais pela crença nas explicações religiosas e na tradição.
d) o Renascimento foi a expressão cultural das profundas mudanças da Europa na passagem da Idade Moderna para a Idade Contemporânea e teve inicio na Alemanha, no século XVII.

100. (PUCRS) O Renascimento, movimento cultural com origem na Itália, e o Humanismo, no princípio da Idade Moderna, tiveram repercussão social de caráter _________. Ao representarem as relações do homem com Deus e com a natureza, as obras renascentistas caracterizaram-se pelo _________, ao passo que a renovação científica do período criou uma nova imagem do universo físico, marcada pelo _________.
a) popular - antropocentrismo - geocentrismo
b) elitista - teocentrismo – heliocentrismo.
c) popular - antropocentrismo – heliocentrismo.
d) popular - teocentrismo – geocentrismo.
e) elitista - antropocentrismo – heliocentrismo.

GABARITO
1. D
2. A
3. C
4. C
5. A
6. D
7. B
8. B
9. D
10. A
11. B
12. A
13. B
14. E
15. D
16. A
17. C
18. B
19. B
20. A
21. D
22. C
23. E
24. D
25. D
26. A
27. A
28. C
29. C
30. D
31. A
32. A
33. D
34. D
35. C
36. C
37. E
38. E
39. D
40. B
41. C
42. C
43. A
44. E
45. A
46. A
47. E
48. A
49. E
50. B
51. D
52. C
53. E
54. C
55. A
56. E
57. C
58. E
59. B
60. C
61. C
62. B
63. B
64. A
65. B
66. D
67. C
68. D
69. D
70. D
71. C
72. B
73. E
74. B
80. B
81. E
82. E
83. B
84. C
85. B
86. E
87. C
88. B
89. B
90. D
91. C
92. C
93. B
94. B
95. D
96. B
97. A
98. D
99. C
100. E